Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI)

Visão embaçada ou mesmo a presença de um ponto cego no meio do campo visual são sinais de que o paciente pode estar com DMRI. Fumantes, pessoas com histórico familiar da doença, que possuem um nível alto de colesterol no sangue, doenças cardiovasculares ou hipertensão podem desenvolver a doença.

O médico oftalmologista utiliza técnicas como a dilatação da pupila, observação de depósitos amarelos na retina, quadro ocular e a introdução de pigmentos na corrente sangüínea como formas de detectar a DMRI.

A região da mácula (centro do olho) é a área afetada pela doença que pode se apresentar sob a forma de DMRI incipiente, DMRI seca ou DMRI úmida.

* DMRI incipiente:
Freqüente na maioria das pessoas que desenvolvem a DMRI, causa apenas uma pequena perda visual, não evoluindo na maioria para casos mais graves.
* DMRI seca:
É a mais leve de todas as categorias de DMRI's, atingindo de 85% a 90% dos casos.
* DMRI úmida:
Cerca de 10% dos pacientes que possuem DMRI seca podem desenvolver essa forma da doença caracterizada pelo crescimento de pequenos vasos sangüíneos anormais sob a retina.
Com a perda visual, os pacientes devem adotar meios para facilitar suas tarefas diárias e manter sua qualidade de vida. Veja algumas dicas:
* Leitura de livros com tamanho de fontes maiores;
* Telefones que possibilitem uma boa visualização do painel de números;
* Baralhos especiais.
A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é a principal causa de perda visual grave em pessoas com idade acima de 65 anos. A doença atinge a mácula, parte central da retina, afetando a visão de perto e de longe dos pacientes. Eles não chegam à cegueira total, mas a observação de detalhes e a capacidade de leitura ficam comprometidas.

figuradmri
1. Visão normal
2. Visão afetada pela DMRI

Faça um teste simples, conhecido como Grade de Amsler, para verificar se você sofre de DMRI.

 

Visita Virtual